sexta-feira, 7 de agosto de 2015

MISSA DE 30º DIA DE FALECIMENTO - LUZIA HONÓRIO BARBALHO

Por tudo que foste, fizeste e viveste aqui na terra, - o nosso LOUVOR! À nossa póstuma homenagem ...
“Vinde, benditos de meu Pai, tomai posse do reino que vos está preparado desde a criação do mundo. Porque tive fome e me destes de comer; tive sede e me destes de beber; era peregrino e me acolhestes; nu, e me vestistes; enfermo e me visitastes ... Em verdade eu vos declaro: todas as vezes que fizestes isto a um destes meus irmãos mais pequeninos, foi a mim mesmo que o fizestes.”     (MATEUS 25, 34-36/40)
                                     Irmã amada, cunhada amiga, querida tia,
                                                              LUZIA ...
            Chegou o “momento”, o “dia”, que foste chamada ao encontro definitivo com o teu Criador. “Assim, pois, cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus.” (ROMANOS 14,12). Não há dúvidas de que tua vida teve profunda e concisa sintonia com a citação do Evangelho, segundo S. Mateus, capítulo 25, versículos 34-36/40. Por que a certeza, então? Pela fé que tivestes, pela mulher santa que fostes, pelo ser humano que sempre buscou e viveu às coisas do Divino, do Eterno; que trazia consigo o desejo de fazer sempre e em tudo – a vontade de Deus. “ ... Coisas que os olhos não viram, nem os ouvidos ouviram, nem o coração humano imaginou, tais são os bens que Deus tem preparado àqueles que o amam.” (I CORÍNTIOS 2,9). A senhora, amou a Deus no seu próximo com doação e amor fraterno. E o mais notadamente importante e belo – foi que não esperava “tempo bom” para fazer estas coisas. Soube repartir, dividir com aqueles que precisavam, especificamente os mais carentes. “Desafiou” o tempo, as circunstâncias para cumprir a vocação ao matrimônio; a missão de servir e, por conseguinte, exaltar o nome do nosso Deus. “No essencial – a humildade, no acidental – a liberdade, em tudo – a caridade.” (Sto. AGOSTINHO)
           A mulher de tantas virtudes, grandiosa caridade, era dotada de muitos e diversos TALENTOS, - foi uma “enfermeira” nata; tinha o dom de curar doentes; foi para o seu tempo uma “empreendedora” futurista, (...) – vieram as bênçãos ...
           No seu caráter, personalidade, e postura – a “vontade” divina, o espiritual prevaleceu. Fostes aqui na terra uma “extensão” do amor divino. Cumprindo com total desprendimento a missão a ti confiada, e, gratuitamente sendo uma “resposta” de Deus aos apelos dos mais necessitados. O Deus que a amou desde o nascimento “Antes que no seio fosses formada, eu já te conhecia...” (JEREMIAS 1,5) - Pensou em ti em todos os aspectos da condição humana - quis fazê-la feliz! Entre tantas providências à vossa vida, deu-lhe um companheiro, uma família, um lar, dentre outras bênçãos. Os filhos gerados, educou-os na fé e nos bons princípios humano. Deixou-os livres para seguirem sua vocação. Cada um com seus talentos - construiu realização pessoal e profissional; devolvendo-lhes assim a bênção que receberam: o dom da vida. Estes, sempre souberam valorizar a MÃE que devotamente soube unir presença materna às suas habilidades e aptidões a serviço do próximo, “Quando você dá de si mesmo, você recebe mais do que dá.” (EXUPÉRY)
         LUZIA HONÓRIO BARBALHO, veio ao mundo, peregrinou nessa terra com a “marca” do divino, buscando sempre o “eterno”, o que bem traduz seu desprendimento às coisas material, às vaidades do mundo transitório; a “caminhada” efêmera aqui na terra. Em todas as coisas, fazer a vontade de Deus e viver santamente foram seus passos aqui ... “Quando Cristo, vossa vida aparecer, então também vós aparecereis com ele na glória.” (COLOSSENSES 3,4)

“Não sei ... Se a vida é curta ou longa demais para nós, mas sei que nada do que vivemos tem sentido, se não tocarmos o coração das pessoas.” (CORA CORALINA)

Mensagem: SILVANA BARBALHO

0 comentários:

Postar um comentário

poste seu comentário