terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

DESILUDIDO, TIRIRICA QUER VOLTAR A SER PALHAÇO


Deputado mais votado no país em 2010, Tiririca (PR-SP) quer voltar a ser só palhaço. Desiludido com a política, ele disse à Folha que não disputará mais eleições e, findo seu mandato, em fevereiro de 2015, irá se desfiliar do PR.

Na metade da legislatura, Tiririca, que se elegeu com a promessa de descobrir o que faz um deputado, disse que já entendeu que "não dá para fazer muita coisa".

O desalento, no entanto, não é a razão para deixar o salário de R$ 26,7 mil, verba de gabinete de R$ 97.200 e direito a apresentar R$ 15 milhões em emendas.

A justificativa é a falta de tempo para se dedicar ao que mais gosta: fazer shows (que lhe rendem mais dinheiro do que a Câmara). "Eu sou artista popular. Aqui me prende muito. A procura pelos shows é enorme e não dá para fazer", afirma ele.

Quando voltar aos palcos, ele promete não fazer piada sobre político. "Quando a gente está fora acha que deputado não faz nada, mas eles trabalham para caramba."

Nestes dois anos na Câmara, diz ter aprendido muito: "Aqui é uma escola. Se aprende tanto ir para o caminho legal quanto ir para o 'outro caminho" [diz não ter sido convidado a entrar]. Descobriu, porém, que política não faz parte de seu projeto pessoal.

Sobre o fato de ainda não ter discursado na tribuna da Câmara, desconversa: "Para falar o quê? Nenhum projeto foi aprovado. No dia que for, eu subo para agradecer".

Do blog (ALEXANDRE FREIRE): Indiscutivelmente, as razões que o levarão a abdicar da carreira parlamentar e voltar a atuar na profissão que o consagrou (palhaço) são coerentes e aceitas pelos eleitores que o colocaram no poder. Apesar de viver uma vida financeira cheia de regalias, Tiririca afirma ganhar bem mais fazendo shows, além de dedicar tempo para viver em família, sobretudo, ao lado dos seus filhos.

Entretanto, e os verdadeiros palhaços políticos, aqueles que se perpetuam nos gabinetes, onerando os cofres públicos e fazendo da política cabide de emprego e benefício ao próprio bolso? Esses não precisam se desvincular da lesgislatura nem buscarem outros palcos, visto que, em grande parte do Brasil, essas casas são verdadeiros picadeiros de imbecis e usurpadores da consciência, do dinheiro e da paciência do povo.

Matéria: trechos divulgados
foto: divulgação
comentário: Alexandre Freire

1 comentários:

Já vai tarde, é uma pena que a cadeira não fica vazia.
O Brasil conseguiria andar melhor sem os políticos profissionais, apenas com voluntários sem salários, assim poderiam se dedicar aos seus dons de palhaço, atletas e artistas; nosso país seria recompensado com muitas medalhas e com cofre mais cheio.

Postar um comentário

poste seu comentário